segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Morrendo de amor...por amor...com amor...sem amor...




Sob o seu encanto novamente
Eu não consigo te dizer não
Deseje meu coração e ele estará sangrando em sua mão
Eu não consigo te dizer não


(Good Enough- Evanescence)



Era um dia lindo, mas escureceu, estava nublado, mas o sol não perdia o poder.
Saímos, fomos ao parque central, a toalha foi estendida, os ¨comes & bebes¨ dispostos sob a toalha com a grama levemente molhada pelo orvalho. Aqueles cabelos, cor da brasa  na brisa que lhe contornava o corpo ficavam ainda mais belos, hipnotizantes.
Sem pensar mais que uma vez eu lhe daria minha vida, até a última gota de sangue, até o último neurônio que restasse em meu cérebro para protegê-la, o problema, é que ela faria o mesmo por mim, não podia eu imaginar um mundo sem minha querida Candy, minha eterna paixão.Eu daria  a volta ao mundo, caçaria e mataria sem mesmíssima piedade seu assassino, mas não foi preciso. Ele estava na minha frente , com aquele seu mesmo olhar , aqueles mesmos cabelos cor de brasa, e a pele mais branca que a neve límpida de um tortuoso inverno.Minha Candy... Minha querida Candy se matou. Descobriu uma terrível doença, enfisema. Infelizmente seu hábito de fumante não lhe rendeu bom futuro, ela como inteligente que era, sabia o sofrimento da doença, sabia que definharia, até uma morte sofrida e sabia que eu definharia junto. Antes tivesse ela proposto um suicídio mútuo, não me importaria nem um pouco em morrer junto a ela, contanto que fossemos para o mesmo lugar.. Oh Candy, que falta faz, antes tivesse me encravado punhal , do que me deixado de forma tão repentina. E morte lá deixa aviso ?
Esse dia no parque, ela quis fazer tudo, ela preparou a cesta, escolheu o local, serviu-me, e assim estranhei que nesse dia não ascendeu nenhum cigarro. Queria morrer em paz. Fomos para a casa e ela deitou-se ao meu lado dormiu e faleceu em meus braços. Antes de dormir tomou um comprimido, perguntei o que era , ela disse que era pra dor de cabeça.Era sua sentença.Seu veneno e minha solidão.
Essa carta que deixo aqui na mesa da sala, é só pra explicar os motivos do meu suicídio. Candy está à minha espera...Tenho que ir, Adeus.


2 comentários:

  1. nossa, nunca li algo tão alucinante e profundamente romantico, negativo... quem não intende a dor, ve isso como absurdamente ridiculo... mas, eu fiquei dopado... e... lindo oque eu li, negativamente lindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ! Que bom que gostou, fico feliz.

      Excluir